quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Cegueira

Foto: Kalu Brum - Autoretrato

Pequena alma serena
veio a este planeta de cores
e viu o mundo como ninguém o pintou
só luzes sem fomas, pulsações sem corda
um tracejado único e bailante

A cegueira das formas terrestres
decretaram o problema
Chamaram-na de boba
lerda, burra
Ela era míope, aos olhos comuns

Colocou óculos, cortou a córnea
mas seu mundo nunca mudou
continuou com as luzes ululantes
as palavras que só brincam em seu dicionário
Aprendeu que cegueira
é a incapacidade humana
de ver o que os anjos sempre enxergaram

Ela cresceu mas sua alma menina
jaz em um coração puro
que desse plano aprendeu a perdoar
os homens de óculos e grandes cabeças
a dançar entre escombros e contruir palácios
a andar no escuro por se guiar
pela luz que nem óculos, nem bisturis
jamais hão de apagar.

Kalu, 25/09/2008

Um comentário:

Dydy disse...

Meu marido amou sua descriçao na parte que fala "adoro tecnologias, mas prefiro viver sem elas...Vivo no mato..." Nos tb!!!
Com o agravante de sermos vegetarianos!
Qd vou encontrar meu artigo la? É exclusivaço hein!
bJKS